quarta-feira, 28 de fevereiro de 2007

DRM ainda vivo.

Já lá se váo duas semanas e ainda estamos tentando ler as entrelinhas na mensagem de Jobs sobre DRM. Dois pontos interessantes conseguiram chamar minha atenção: o primeiro é a constatação que o DRM da Apple não sustenta qualidade igual ao CD (lossless), e isto começa a ficar audivel à medida que se disseminam outros usos do iPod, já que o mp3 do iPod soa razoavel no fonezinho de ouvido, mas perde pro CD na hora que se liga no som bacana da sala , veja na Wired.



Outro ponto interessante foi levantado no Register. Todo mundo já sabia que DRM não era bom e agora pode não estar sendo bom pro Jobs. Até ai tudo bem, mas aquele argumento da segurança para não poder licenciar o DRM Apple e portanto criar compatibilidade com todas as marcas de players, este argumento não cola porque a Microsoft licencia amplamente seu sistema de DRM e isto tem funcionado. A Apple talvez não tenha prática em licenciamento de suas tecnologias, nenhuma prática.



Sempre é bom ir conferir o blog do Professor Lessig, ele também deu seu palpite sobre o assunto "Jobs on DRM", provocativo e ao ponto, sugerindo que a Apple começe a colocar arquivos sem DRM, atendendo a pedidos dos artistas donos de suas obras. No momento estes pedidos são negados.



No mais, os de sempre exigem a permanencia do DRM.

A EMI desistiu da idéia de conseguir um dinheirinho extra, já que queria receber adiantamentos das lojas de download para liberar seu DRM. É óbvio que ninguem quis pagar pelo falso privilégio.





powered by performancing firefox

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua opinião é bem vinda.